sábado, 19 de outubro de 2013

Quebra-cabeça - Ferramenta para o Aprender!


Valor Histórico:
Quebra-cabeça é um jogo onde um jogador deve resolver um problema proposto. Nesse tipo de jogo, o raciocínio é bem mais importante que a agilidade e a força física. Os quebra-cabeças são normalmente usados como passatempo. Acredita-se que a história começou quando no século XVIII um cartógrafo colou um mapa a uma tábua de madeira.

Os primeiros quebra-cabeças eram desenhos feitos em tábuas de madeira que depois eram cortados em vários pedaços com uma serra. Atualmente os mais comuns são feitos em algum tipo papel resistente e possuem as mais variadas imagens impressas, sendo as mais comuns paisagens naturais, reproduções de obras de artes famosas e construções típicas de alguma cidade. A imagem é colada no papel e depois é cortada em uma prensa, onde lâminas definem o formato das peças. Além dos quebra-cabeças de papel, atualmente também são comercializados os 3D, os que possuem ilusões óticas e os dupla-face.

O maior quebra-cabeça existente, disponível para comercialização, tem 32.256 peças e mede 5,44 x 1,92 metros, apresentando 32 imagens do artista Keith Haring. É produzido pela Ravensburger, da Alemanha.


Quebra-cabeça - Ferramenta para o Aprender!

A agilidade supera qualquer força física neste jogo, que há muito é percebido por pais e especialistas como um aliado em educação que vai muito além de um simples brinquedo, uma mera fonte de entretenimento.

No processo de formação educacional e cognitiva de uma criança, percebe-se a importância dos quebra-cabeças no desenvolvimento físico, neurológico, psicomotor, capacidade de concentração, noção espacial, percepção visual e aumento de conhecimento sobre diversos assuntos.Alguns estudiosos afirmam, inclusive, que este brinquedo auxilia também em processos de amadurecimento e resolução de questões de cunho psicológico.

É recomendado o gradual aumento do nível de dificuldade em cada jogo para estimular ainda mais o progresso da criança em todas as áreas anteriormente citadas. 
O quebra-cabeças funciona como fonte de informação e enriquecimento para os cérebros de todas idades. Mas é na infância que ele cumpre seu papel de maneira mais eficaz.

Movimentos com os olhos e com as mãos executados ao brincar com quebra-cabeças, poderão facilitar e preparar melhor as crianças para o hábito da leitura. Estudos realizados com crianças com idade entre zero e três anos concluíram que o quebra-cabeça auxilia a "firmar as bases que as crianças precisam na vida, como autoconfiança na resolução de problemas e os torna aptos a explorar, cometer erros e aprender." (Farrar).
Quebra-cabeças podem e devem ser utilizados com objetivo educativo, com conteúdo específico, voltado ao ensino de informações básicas como, por exemplo, cores, letras do alfabeto, meios de transporte, carreiras e profissões, animais, etc. Se bem desenvolvidos e fabricados, estes produtos de qualidade são ideais para combinar educação com diversão. 
A pesquisadora norte-americana Marlene Barron, chefe da Escola Montessoriana do West Side, em Nova Iorque, realizou uma experiência desafiando crianças de três e quatro anos de idade a montarem quebra-cabeças de 100 a 300 peças e os resultados foram surpreendentes. Segundo ela, a experiência foi um sucesso, inclusive no âmbito de inclusão social, já que as crianças "compartilhavam suas estratégias com seus parceiros.
Ainda segundo Marlene, "montar quebra-cabeças é uma atividade social riquíssima pois induz o diálogo acerca do processo, sobre a história apresentada na imagem a ser montada e sobre experiências pessoais das crianças ligadas à imagem do quebra-cabeça¨. Para ela, trabalhar com quebra-cabeças mais elaborados é uma atividade que as crianças podem fazer em casa também.
Conforme as crianças vão crescendo, o interesse delas pode e tende a se concentrar em quebra-cabeças em assuntos curiosos para eles, como esportes, animais e astronomia. Já para crianças um pouco mais velhas, com idades entre 10 e 13 anos, quebra-cabeças que desafiem suas inteligências e exijam grande poder de concentração para resolução de problemas estão entre os preferidos da meninada.
O quebra-cabeça também funciona como instrumento de união entre pais e filhos. Montando e resolvendo estes desafios juntos, eles passam mais tempo convivendo e se conhecendo, desempenhando uma atividade como uma equipe, melhorando a intimidade e a relação interpessoal dos familiares. É imprescindível que pais e filhos tenham tempo e o hábito de se divertirem juntos para poderem dialogar mais abertamente sobre as questões que surgem no dia-a-dia. É uma maneira sagaz e econômica de realizarem atividade em conjunto. Oferecer às crianças diferentes quebra-cabeças reforça enfaticamente sua educação e desenvolvimento, não só em casa, como também na escola e nos espaços de atendimentos psicopedagógicos.
Abaixo, seguem algumas características reforçadas com o hábito de se montar quebra-cabeças:
- Desenvolvimento das Habilidades Cognitivas: quebra-cabeças melhoram a capacidade de uma criança em resolver problemas, aumentam o raciocínio e elevam suas habilidades. Este hábito os auxilia a enxergar diferentes pontos de vista sobre determinado assunto ou relação, melhora sua percepção visual, espacial e sua sensibilidade. Dependendo do tema escolhido no quebra-cabeça, pode ensiná-los de maneira contundente números, letras, cores, animais, etc;

- Desenvolvimento das Habilidades Motoras Refinadas: quebra-cabeças são divertidas maneiras de se melhorar as habilidades motoras mais delicadas, que exijam mais firmeza nas mãos.

- Desenvolvimento de Coordenação Motora e Visual: enquanto a criança tenta encaixar uma peça no quebra-cabeça, ela está manipulando este pedaço do brinquedo para ver onde ele se encaixa. A ação conjunta de sua mão com o olho, ambos trabalhando de maneira coordenada, são extremamente benéficas e altamente reforçadas através deste processo de tentativa, erro e acerto.

- Desenvolvimento de Habilidades Sociais: quebra-cabeças podem ser montados sem a presença de outra pessoa. Entretanto, são um ótimo instrumento de socialização e cooperação com o próximo na hora de brincar. A criança pode abrir o diálogo com outra pessoa que esteja próxima ao pedir, por exemplo, para que uma peça seja passada a ele ou perguntar sobre uma peça que não esteja se encaixando no lugar alvo da tentativa. Estas ações induzem ao trabalho em equipe e faz com que a crianças saiba lidar com situações frustantes, caso a peça não se encaixe.

Ao escolher um quebra-cabeça para o seu filho, considere as seguintes indicações de especialistas no assunto:

- Idade: Certifique-se de que esteja adquirindo um tipo adequado de quebra-cabeça para a idade de seu filho. Por exemplo: quebra-cabeças com peças maiores são ideais para crianças menores, que ainda estão em processo de desenvolvimento da coordenação motora. Elas são fáceis de montar e este tipo de quebra-cabeça pode ser usado para ensinar diferentes formas como círculo, quadrado, triângulo, formas ovais, retângulos, corações etc. Quebra-cabeças de alfabeto e palavras são excelentes auxiliares para crianças que estejam passando pelo processo de alfabetização. Às crianças mais velhas são indicados quebra-cabeças com mais peças, variando entre 50 e 200 unidades, de acordo com a habilidade e o hábito de brincar com peças de montagens do seu pequeno;

- Material: Você pode escolher entre quebra-cabeças fabricados com madeira, papelão, plástico, espuma, etc. Vai depender bastante do seu objetivo. Tenha em mente o que deseja. Por exemplo: texturas melhoram a percepção sensorial, o tato, bem como habilidades cognitivas;

- Tipos de quebra-cabeça: cartão com palavras, peças grandes, enigmas texturizados, com som, em camadas. Escolha o mais adequado ao desenvolvimento e ao momento em que seu filho esteja vivendo. Os quebra-cabeças conhecidos como Peg Puzzles, por exemplo, são ótimos para ensinar as crianças a aumentarem suas habilidades com os dedos polegares e indicadores, cruciais no desenvolvimento da escrita. Este dedo é um movimento crucial precursor da escrita.

Alguns quebra-cabeças acústicos desenvolvem com maestria a capacidade auditiva das crianças emitindo sons das palavras formadas. As cores são sempre muito importantes neste tipo de brinquedo educativo. Existem muitos outros quebra-cabeças com diferentes objetivos - conhecer animais e os sons que eles emitem, mapas de países para aumentar os conhecimentos de geografia, quebra-cabeças voltados para a anatomia humana para que as crianças conheçam melhor seu próprio corpo.
São quase infinitas as opções de quebra-cabeças disponíveis no mercado. E ter consciência destas dicas poderá tornar uma das formas de brincar mais antigas e prazerosas ainda mais eficiente na educação de nossas crianças.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Fique a vontade.Compartilhe sua opinião!
Gosto de trocar e somar ideias.
Obrigada pela visita!
Um abraço, Rosangela

RESULTADO EM AÇÂO!



csp6961069

Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens,
pais e professores são a bússola para o caminho de
descobertas e aprendizagens significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)

"Somos diferentes, mas não queremos ser transformados em desiguais. As nossas vidas só precisam ser acrescidas de recursos especiais".

(Peça de teatro: Vozes da Consciência,BH)

MotivAÇÃO FAZ BEM!

Hoje Acordei Para Vencer! A automensagem positiva logo pela manhã é um estímulo que pode mudar o seu humor, fortalecer sua autoconfiança e, pensando positivo, você reunirá forças para vencer os obstáculos. Não deixe que nada afete seu estado de espírito. envolva-se pela música, cante ou ouça. Comece a sorrir mais cedo. ao invés de reclamar quando o relógio despertar, agradeça a Deus pela oportunidade de acordar mais um dia. O bom humor é contagiante: espalhe-o. Fale de coisas boas, de saúde, de sonhos, com quem você encontrar. Não se lamente, ajude as outras pessoas a perceber o que há de bom dentro de si. Não viva emoções mornas e vazias. Cultive seu interior, extraia o máximo das pequenas coisas. Seja transparente e deixe que as pessoas saibam que você as estima e precisa delas. Repense seus valores e dê a si mesmo a chance de crescer e ser mais feliz. Tudo que merece ser feito, merece ser bem feito. Torne suas obrigações atraentes, tenha garra e determinação. Mude, opine, ame o que você faz. Não trabalhe só por dinheiro e sim pela satisfação da "missão cumprida". Lembre-se: nem todos têm a mesma oportunidade. Pense no melhor, trabalhe pelo melhor e espere pelo melhor. Transforme seus momentos difíceis em oportunidades. Seja criativo, buscando alternativas e apresentando soluções ao invés de problemas. Veja o lado positivo das coisas e assim você tornará seu otimismo uma realidade. Não inveje. Admire! Seja entusiasta com o sucesso alheio como seria com o seu próprio. Idealize um modelo de competência e faça sua auto-avaliação para saber o que está lhe faltando para chegar lá. Ocupe seu tempo crescendo, desenvolvendo sua habilidade e seu tempo. Só assim não terá tempo para criticar os outros. Não acumule fracassos e sim experiências. Tire proveito de seus problemas e não se deixe abater por eles. Tenha fé e energia, acredite: Você pode tudo o que quiser. Perdoe, seja grande para os aborrecimentos, pobre para a raiva, forte para vencer o medo e feliz para permitir a presença de momentos infelizes. Não viva só para seu trabalho. Tenha outras atividades paralelas como: esportes, leitura... cultive amigos. O trabalho é uma das contribuições que damos para a vida, mas não se deve jogar nele todas as nossas expectativas de realizações. Finalmente, ria das coisas a sua volta, ria de seus problemas, de seus erros, ria da vida: "A gente começa a ser feliz quando é capaz de rir da gente mesmo". (Autor desconhecido)

Dicas de FAZER o BEM faz BEM!

“Ninguém e nada cresce sozinho. Sempre é preciso um olhar de apoio. Uma palavra de incentivo. Um gesto de compreensão. Uma atitude de segurança. Devemos, assim, sermos gratos. Aos que nos ajudaram a crescer. E termos o propósito de não parar. E não passar em vão pela vida”. (autor desconhecido)

Aprender no Coletivo!

"Quanto mais rica

a experiência humana,

tanto maior será

o material disponível

para a imaginação e

a criatividade".

(Lev S. Vygostsky)


Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens, pais e professores são a bússola para o caminho de descobertas e experiências
significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)


ATENDIMENTO PSICOPEDAGOGICO


Sou participante em...

Ocorreu um erro neste gadget
Loading...
Salmo 16:8 -
(Com ELE, nos FORTALECEMOS!)

Selinhos Amigos e Parceiros neste BLOG! OBRIGADA!