quinta-feira, 3 de maio de 2012

Alfabetizar-Intervir e Avançar nas Hipóteses de Escrita



Quero compartilhar este material que encontrei na NET.

Considero sucinto e esclarecedor sobre as hipóteses de escrita, no processo de Alfabetização. Aproveitem...e se alguém souber a autoria deste material. por favor me comunique para dar os devidos créditos.

Rosangela Vali




PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA

INTERVIR PARA AVANÇAR


Nível Pré-silábico



Características Principais

PS1
  • Escrita com desenhos e garatujas
PS2
  • Relação entre o nome e o tamanho do objeto;
  • É preciso uma quantidade mínima de letras para que esteja escrito alguma coisa;
  • É preciso um mínimo de caracteres para que uma série de letras sirva para ler.
O que deve ser trabalhado no nível Pré-silábico
  • Atividades com nomes próprios e outras listas: cadernos de autógrafos, agenda da turma, atividades da semana.
  • A relação grafema-fonema (letra-som) com alfabetos cantados, bingo de letras, de rótulos, atividades com alfabeto vivo, atividades com fichário dos nomes dos alunos.
  • Formar o “Tesouro da Classe” com palavras significativas que repertoriem as crianças.
  • Presenciar frequentemente atos de leitura e escrita, observando onde se lê e como e o que se pode escrever.
  • Explorar e manusear as letras do alfabeto em diferentes materiais e contextos: crachás, rótulos, textos, bingos, etiquetagens, legendas, jogos (memória e baralho alfabético), colagens e recortes.
  • Analisar a quantidade, variedade, posição de letras, comparando, seriando, completando e classificando palavras pela letra inicial/final, em um contexto significativo (ex: nomes próprios).
  • Atividades com aspectos topológicos das letras: sacola surpresa, alfabeto corporal, caminhando com as letras, agrupamentos por características semelhantes, dentre outras.
  • Muitas atividades de escrita espontânea e não cópias.

Nível Silábico


Características Principais
  • Crença de que cada letra representa uma sílaba (a menor unidade de emissão sonora).
  • Quantidade mínima de letras para que possa ser considerada uma palavra.
  • Preocupação com o valor sonoro convencional.

O que deve ser trabalhado no nível Silábico
  • Presenciar atos de leitura e escrita e ser incentivado a ler e produzir escritas silábicas para que o conflito em direção ao próximo nível aconteça.
  • Atividades que reforcem a compreensão da relação grafema-fonema (letra-som) para que entenda a constituição de sílaba como, por exemplo, alfabetos cantados, bingo de letras, de rótulos, atividades com alfabeto vivo, atividades com fichários dos nomes dos alunos.
  • Continuar explorando todo alfabeto em jogos, cartões conflito, letras móveis, forcas,bingos, preguicinhas, dominós, listas, ditados de letras, de palavras (com banco de palavras) legendas em gravuras.
  • Memorização de escrita de palavras significativas e exercícios de desmontar/montar palavras, descobrir palavras escondidas, completar palavras, ligar, contar, classificar, comparar, segundo o número de letras, iniciais, finais e pela ordem das letras.
  • Atividades de desenvolvimento da oralidade com posterior produção escrita: escrever/ordenar textos que se sabe de cor como músicas, poemas e histórias em sequência.
  • Trabalhar o eixo qualitativo em rimas, acrósticos, cruzadinhas, listas.
  • Trabalhar com textos que se sabe de cor para induzir a vinculação do oral com o escrito, explorando a formação das sílabas, da ordem das palavras nas frases, da organização da escrita, da estruturação do texto.
  • Leituras de histórias e demais narrativas com posterior reconto oral e escrito.
  • Muitas atividades de escrita espontânea de palavras e não cópias.

     Nível Silábico alfabético
Características Principais

  • Hipótese de transição entre o nível silábico e o nível alfabético.
  • Descoberta de que é necessários analisar outras possibilidades de escrita, uma vez que ela vai além da sílaba.

Nível Alfabético
Características Principais
  • Escreve com dois sinais gráficos para cada sílaba oral.
  • É importante conhecer o valor sonoro convencional das letras.
  • Há necessidade de distinguir algumas unidades lingüísticas tais como: letras, sílabas, palavras e textos.
  • Estar alfabético não significa estar alfabetizado.

Nível Alfabetizado
Alfabetizado 1
Alf1
  • Se caractriza pela hipótese de que, a cada vez que se abre a boca para se pronunciar uma palavra, se escreve obrigatoriamente uma consoante e uma vogal, nesta mesma ordem rígida.
Ex: escada – SECADA

Alfabetizado 2
Alf2
  • A ordem “consoante-vogal” pode ser invertida.
  • Às vezes, a sílaba tem somente uma vogal ou até duas.
  • Às vezes, a sílaba tem duas consoantes, ou juntas ou separadas por vogal.
Ex: pro – PROFESSORA, jor – JORNAL.

Alfabetizado 3
Alf3
  • Constatação de que há sons que deverão ser representados por duas letras.
Ex: NH, LH, CH, RR, SS.

Alfabetizado 4
Alf4
  • Processo no qual o aluno apresenta mais um conflito e outra descoberta, a de que uma consoante pode ser desacompanhada de vogal.
Ex: PNEU, OBJETO, ADVOGADO.
O que deve ser trabalhado nos níveis Alfabético e Alfabetizado
  • Atividades que reforcem a compreensão da relação grafema-fonema (letra-som) para que entendam a construção da sílaba como, por exemplo, alfabetos cantados, bingos de letras, de rótulos, atividades com alfabeto vivo, atividade com fichário dos nomes dos alunos.
  • Atividades que visem descolar a escrita da fala, como no caso das palavras. CADIADO e KAVALU – as vogais E e O no final de sílabas átonas assumem o valor sonoro de /i/ e /u/, por isso que se fala /cadiado/ e se escreve CADEADO, fala-se /cavalu/ e escreve CAVALO, fala-se /leiti/ e escreve-se LEITE.
  • Atividades para trabalhar as convenções ortográficas, como: dígrafos orais (ch, lh, nh, qu, gu, rr, ss, sc, xc) e nasais (am, an, em, en, im, in, om, on, um, un) como na escrita da palavras “aranha” e “campo” e usos de letras que representam o som /s/
  • Atividade para evitar a hipercorreção (no afã de acertar erra), como na escrita da palavra CUECA escreve COECA.
  • Trabalho intenso de leitura de diferentes gêneros: leitura compartilhada, silenciosa, em capítulos, em diferentes ambientes, por diferentes motivos, com dramatização, com interpretação oral, sugerindo mudanças, criando versões, recriando finais, introduzindo elementos, comparando narrativas, notícias, enredos, propagandas, explorando rimas.
  • Produzir textos: coletivamente, em grupos, em duplas, sozinho, a partir de imagens, de leituras, de situações, de questionamentos, de necessidades de informar, divulgar, pesquisar, discordar, concordar, divertir, recontar, anunciar, convidar.
  • Montar e explorar bancos de palavras e construir coletivamente as regras ortográficas regulares, usar jogos de raciocínio para fixação destas regras.
  • Montar e explorar bancos de palavras com dificuldades ortográficas irregulares.
  • Organizar jogos com regras para memorização das mesmas.
  • Trabalhar revisão de textos produzidos coletivamente (grupos, duplas) ou individualmente.
  • Trabalhar com a análise linguística de textos bem escritos.
  • Atividades de desenvolvimento da oralidade com posterior produção escrita.
  • Leitura de histórias e demais narrativas com posterior reconto oral e escrito.

SONDAGEM

Inicial e para alunos não alfabetizados
  • Ditar uma lista de 4 (quatro) palavras (que não sabe de memória) sem apoio de outras fontes e uma frase.
  • As palavras escolhidas não devem ter vogais em sílabas seguidas. Ex: PETECA, pois o aluno tem dificuldades em repetir vogais, para escrita na hipótese silábica – EEA
  • A lista deve ser lida pelo aluno assim que terminar de escrevê-la.
  • Deve-se ditar 4 palavras começando por uma polissílaba, depois trissílaba, dissílaba e monossílaba, isto é, numa ordem decrescente de sílabas, para confrontar com a questão de que é necessário uma quantidade mínima de letras para que algo seja escrito.
Alunos alfabetizados
  • Leitura de um texto pelo professor e ditado de 10 palavras. Para escolha destas palavras é necessário ter alguns cuidados sobre as diferentes configurações de sílabas:
  1. V – só uma vogal. Ex: amigo
  2. CV – uma consoante e uma vogal. Essa formação de sílaba é chamada de
canônica, por ser a mais visual de nosso sistema. Ex: loja
  1. CVC – uma consoante, uma vogal e uma consoante. Ex: carta
  2. CCV – duas consoantes seguidas de uma vogal. Ex: claro
  3. CCVCC – duas consoantes seguidas de mais de duas vogais. Ex: transporte
  4. CVCC – consoante, vogal, seguida de duas consoantes. Ex: perspicaz

2 comentários :

  1. Maravilhosa postagem, amei, vou postar no blog!

    ResponderExcluir
  2. Amei seu blog,vou recomendar para as minhas amigas!Bjus...

    ResponderExcluir

Fique a vontade.Compartilhe sua opinião!
Gosto de trocar e somar ideias.
Obrigada pela visita!
Um abraço, Rosangela

RESULTADO EM AÇÂO!



csp6961069

Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens,
pais e professores são a bússola para o caminho de
descobertas e aprendizagens significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)

"Somos diferentes, mas não queremos ser transformados em desiguais. As nossas vidas só precisam ser acrescidas de recursos especiais".

(Peça de teatro: Vozes da Consciência,BH)

MotivAÇÃO FAZ BEM!

Hoje Acordei Para Vencer! A automensagem positiva logo pela manhã é um estímulo que pode mudar o seu humor, fortalecer sua autoconfiança e, pensando positivo, você reunirá forças para vencer os obstáculos. Não deixe que nada afete seu estado de espírito. envolva-se pela música, cante ou ouça. Comece a sorrir mais cedo. ao invés de reclamar quando o relógio despertar, agradeça a Deus pela oportunidade de acordar mais um dia. O bom humor é contagiante: espalhe-o. Fale de coisas boas, de saúde, de sonhos, com quem você encontrar. Não se lamente, ajude as outras pessoas a perceber o que há de bom dentro de si. Não viva emoções mornas e vazias. Cultive seu interior, extraia o máximo das pequenas coisas. Seja transparente e deixe que as pessoas saibam que você as estima e precisa delas. Repense seus valores e dê a si mesmo a chance de crescer e ser mais feliz. Tudo que merece ser feito, merece ser bem feito. Torne suas obrigações atraentes, tenha garra e determinação. Mude, opine, ame o que você faz. Não trabalhe só por dinheiro e sim pela satisfação da "missão cumprida". Lembre-se: nem todos têm a mesma oportunidade. Pense no melhor, trabalhe pelo melhor e espere pelo melhor. Transforme seus momentos difíceis em oportunidades. Seja criativo, buscando alternativas e apresentando soluções ao invés de problemas. Veja o lado positivo das coisas e assim você tornará seu otimismo uma realidade. Não inveje. Admire! Seja entusiasta com o sucesso alheio como seria com o seu próprio. Idealize um modelo de competência e faça sua auto-avaliação para saber o que está lhe faltando para chegar lá. Ocupe seu tempo crescendo, desenvolvendo sua habilidade e seu tempo. Só assim não terá tempo para criticar os outros. Não acumule fracassos e sim experiências. Tire proveito de seus problemas e não se deixe abater por eles. Tenha fé e energia, acredite: Você pode tudo o que quiser. Perdoe, seja grande para os aborrecimentos, pobre para a raiva, forte para vencer o medo e feliz para permitir a presença de momentos infelizes. Não viva só para seu trabalho. Tenha outras atividades paralelas como: esportes, leitura... cultive amigos. O trabalho é uma das contribuições que damos para a vida, mas não se deve jogar nele todas as nossas expectativas de realizações. Finalmente, ria das coisas a sua volta, ria de seus problemas, de seus erros, ria da vida: "A gente começa a ser feliz quando é capaz de rir da gente mesmo". (Autor desconhecido)

Dicas de FAZER o BEM faz BEM!

“Ninguém e nada cresce sozinho. Sempre é preciso um olhar de apoio. Uma palavra de incentivo. Um gesto de compreensão. Uma atitude de segurança. Devemos, assim, sermos gratos. Aos que nos ajudaram a crescer. E termos o propósito de não parar. E não passar em vão pela vida”. (autor desconhecido)

Aprender no Coletivo!

"Quanto mais rica

a experiência humana,

tanto maior será

o material disponível

para a imaginação e

a criatividade".

(Lev S. Vygostsky)


Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens, pais e professores são a bússola para o caminho de descobertas e experiências
significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)


ATENDIMENTO PSICOPEDAGOGICO


Sou participante em...

Ocorreu um erro neste gadget
Loading...
Salmo 16:8 -
(Com ELE, nos FORTALECEMOS!)

Selinhos Amigos e Parceiros neste BLOG! OBRIGADA!