quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Reprovação!O que fazer?

Neste final de ano há as alegrias de quem passa de ano e as tristezas de quem fica retido.Para pais e alunos é um período difícil, mas que precisa ser encarado e dar a volta por cima. Avaliar o que faltou no percurso e melhorar para o próximo ano.
Fica a sugestão do texto abaixo que li e penso ser interessante.Compartilho aqui e bom proveito. 
Rosangela Vali.


Para superar a reprovação na escola, apoio da família é fundamental
A reprovação, uma das maiores frustrações da trajetória escolar, põe à prova a estrutura do aluno e da família, além da habilidade da instituição para lidar com a decepção e as necessidades de quem vai ter que repetir o ano. Nessa hora, não vale castigo: é preciso fazer com que a criança ou o jovem entenda o que o levou a esse resultado - além de planejar ações que evitem a mesma situação no ano seguinte.

A reprovação é resultado de um desempenho abaixo do esperado durante todo o ano. Por esse motivo, segundo a coordenadora associada do curso de Pedagogia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Maria Marcia Malavasi, não dá para esperar que os exames finais salvem o aluno da repetição do ano. "Ele não vai aprender em um mês ou 20 dias o conteúdo de um ano todo que, por várias razões, não aprendeu", diz. "O importante é fazer um acompanhamento durante todo o ano letivo."

Nessa hora, a tranquilidade e organização dos pais são fundamentais. Entre as medidas a serem tomadas, está a elaboração de uma rotina de estudos. "Não adianta colocar de castigo. É preciso que já no início do ano os pais acompanhem as lições em casa, estejam presentes na escola e reflitam sobre o projeto pedagógico da escola, que deve combinar com os hábitos familiares", aponta. Propor atividades diferentes também pode ajudar. "Ler com a criança em casa e frequentar cinema, teatro e apresentações musicais compõem um universo de aprendizado indireto, que também é importante", sublinha.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a taxa de reprovação no ensino fundamental foi de 10,3% em 2010. No ensino médio, esse número foi um pouco maior: 12,5%. Segundo Vânia Turra, supervisora pedagógica do Colégio Bagozzi, de Curitiba (PR), durante todo o ano, as escolas oferecem aulas de reforço e oportunidades de recuperação para os alunos. "Reprovar não é um dos objetivos da escola. Por isso, nós mantemos contato com a família, indicamos alternativas para ajudar o aluno se recuperar e avisamos os pais sobre a possibilidade de reprovação, para que eles possam cobrar em casa", afirma.

Trocar de escola nem sempre é bom para quem reprova.
Bruno, cujo nome verdadeiro será preservado, cursou a 8ª série em 2010, mas não conseguiu evitar a reprovação em português e história. O estudante de 15 anos precisou repetir a série em 2011 - e, para isso, teve apoio dos pais e da escola. "Eu sabia que corria risco, mas não consegui alcançar a meta. No começo foi difícil, mas eu fui me acostumando", lembra. Ele conta que chegou a pensar em trocar de escola, mas logo mudou de ideia. "Em outra escola ia ser mais difícil ainda, porque eu estaria longe dos meus amigos."

É comum que o aluno ou a família queiram trocar de instituição no ano seguinte. Mas, segundo Marcia, para que isso aconteça, é preciso levar em conta o motivo da reprovação. "Se foi só falta de aprendizado, não faz sentido. Se houver outro motivo, a família deve avaliar bem, porque tirar uma criança da escola é romper os laços afetivos, que são decisivos nessa época", analisa.

O sistema de dependência é uma alternativa oferecida por algumas instituições. Com ele, os alunos passam para a série seguinte, repetindo apenas uma ou duas disciplinas nas quais foram reprovados. Para a coordenadora do curso de Pedagogia da Unicamp, essa pode ser uma boa opção. "É muito ruim a criança ter que rever conteúdos que já aprendeu, e a dependência resolve esses problema", diz. No entanto, Marcia alerta para a necessidade de reestruturação pedagógica das instituições que adotam esse sistema. Seja mudando de escola, optando pela dependência ou repetindo a série com novos colegas na mesma instituição, uma coisa é certa: a reprovação não é o fim do mundo.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Fique a vontade.Compartilhe sua opinião!
Gosto de trocar e somar ideias.
Obrigada pela visita!
Um abraço, Rosangela

RESULTADO EM AÇÂO!



csp6961069

Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens,
pais e professores são a bússola para o caminho de
descobertas e aprendizagens significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)

"Somos diferentes, mas não queremos ser transformados em desiguais. As nossas vidas só precisam ser acrescidas de recursos especiais".

(Peça de teatro: Vozes da Consciência,BH)

MotivAÇÃO FAZ BEM!

Hoje Acordei Para Vencer! A automensagem positiva logo pela manhã é um estímulo que pode mudar o seu humor, fortalecer sua autoconfiança e, pensando positivo, você reunirá forças para vencer os obstáculos. Não deixe que nada afete seu estado de espírito. envolva-se pela música, cante ou ouça. Comece a sorrir mais cedo. ao invés de reclamar quando o relógio despertar, agradeça a Deus pela oportunidade de acordar mais um dia. O bom humor é contagiante: espalhe-o. Fale de coisas boas, de saúde, de sonhos, com quem você encontrar. Não se lamente, ajude as outras pessoas a perceber o que há de bom dentro de si. Não viva emoções mornas e vazias. Cultive seu interior, extraia o máximo das pequenas coisas. Seja transparente e deixe que as pessoas saibam que você as estima e precisa delas. Repense seus valores e dê a si mesmo a chance de crescer e ser mais feliz. Tudo que merece ser feito, merece ser bem feito. Torne suas obrigações atraentes, tenha garra e determinação. Mude, opine, ame o que você faz. Não trabalhe só por dinheiro e sim pela satisfação da "missão cumprida". Lembre-se: nem todos têm a mesma oportunidade. Pense no melhor, trabalhe pelo melhor e espere pelo melhor. Transforme seus momentos difíceis em oportunidades. Seja criativo, buscando alternativas e apresentando soluções ao invés de problemas. Veja o lado positivo das coisas e assim você tornará seu otimismo uma realidade. Não inveje. Admire! Seja entusiasta com o sucesso alheio como seria com o seu próprio. Idealize um modelo de competência e faça sua auto-avaliação para saber o que está lhe faltando para chegar lá. Ocupe seu tempo crescendo, desenvolvendo sua habilidade e seu tempo. Só assim não terá tempo para criticar os outros. Não acumule fracassos e sim experiências. Tire proveito de seus problemas e não se deixe abater por eles. Tenha fé e energia, acredite: Você pode tudo o que quiser. Perdoe, seja grande para os aborrecimentos, pobre para a raiva, forte para vencer o medo e feliz para permitir a presença de momentos infelizes. Não viva só para seu trabalho. Tenha outras atividades paralelas como: esportes, leitura... cultive amigos. O trabalho é uma das contribuições que damos para a vida, mas não se deve jogar nele todas as nossas expectativas de realizações. Finalmente, ria das coisas a sua volta, ria de seus problemas, de seus erros, ria da vida: "A gente começa a ser feliz quando é capaz de rir da gente mesmo". (Autor desconhecido)

Dicas de FAZER o BEM faz BEM!

“Ninguém e nada cresce sozinho. Sempre é preciso um olhar de apoio. Uma palavra de incentivo. Um gesto de compreensão. Uma atitude de segurança. Devemos, assim, sermos gratos. Aos que nos ajudaram a crescer. E termos o propósito de não parar. E não passar em vão pela vida”. (autor desconhecido)

Aprender no Coletivo!

"Quanto mais rica

a experiência humana,

tanto maior será

o material disponível

para a imaginação e

a criatividade".

(Lev S. Vygostsky)


Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens, pais e professores são a bússola para o caminho de descobertas e experiências
significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)


ATENDIMENTO PSICOPEDAGOGICO


Sou participante em...

Ocorreu um erro neste gadget
Loading...
Salmo 16:8 -
(Com ELE, nos FORTALECEMOS!)

Selinhos Amigos e Parceiros neste BLOG! OBRIGADA!