sábado, 18 de fevereiro de 2012

Aprendizagem com Psicopedagogia.Faz a Diferença!

Atuo como educadora e professora a 26 anos e trago a experiência que aprendizagem ocorre quando professor(a) e aprendiz (criança /adolescente/ adulto) se aproximam de maneira acolhedora, tranquila, natural, educada, afetiva  e de confiança. 

Aprendo em toda ação pedagógica que todos aprendem  a seu modo e ao seu  tempo, principalmente nos anos iniciais de escolarização, a base para todo o percurso acadêmico.

Minhas inquietações:
Ao longo desse tempo vem me deparando  a todo instante, onde quer que eu vá, com uma  escola que em seu currículo e didática  não oportuniza  e favorece aos aprendizes com dificuldades de aprendizagem, uma forma mais adequada de  obter acompanhamento e sucesso em seus resultados em nível de conteúdos.
Dá-se um privilégio muito grande à letra bonita, caderno organizado, notas altas, aprendizes silenciosos que são considerados a elite constante no fator aprendizagem. 

Questiono o tempo todo: 
O que realmente aprendem?

Vejo que precisam decorar, memorizar conteúdos extensos, fórmulas, cálculos, perguntas e respostas para aplicarem na prova e tirarem notas  altas  que contribuem para  elevar o índice da escola em quanto unidade de municipal, estadual, particular e principalmente quanto ao IDEB (Indice de Desenvolvimento da Educação Brasileira).


Meu lamento: 
As avaliações  são EM SUA GRANDE MAIORIA padronizadas.

Meu questionamento constante:
Como ficam os aprendizagens com dificuldades e deficiências? 
São respeitados nessas avaliações internas e externas a escola?
isto é verdadeiramente AVALIAR E MEDIR o APRENDER?
Para quê e  para quem serve este esteriótipo de AVALIAÇÃO e APRENDIZAGEM?

Reflito sempre:
Nossos aprendizes estão na era do movimento, da rapidez tecnológica, na era digital... onde quase todos tem acesso, até mesmo as classes menos favorecidas economicamente.
Aprendizes  crianças que em sua grande maioria, falam em personagens infantis de nomes estrangeiros...que não falam de imediato em brinquedos populares como a bola, a boneca, o carrinho, os jogos, etc. 
Falam em videogame, jogos eletrônicos. 
Aprendizes que exigem mudanças na educação. 
Aprendizes que não se manifestam diretamente, mas indiretamente pela indisciplina e por isso se frustam na escola, desgostam e querem encontrar somente os amigos quando já estão na pré-adolescência. Por que não dizer já, na idade infantil?

Minhas certezas:
Que encontrei na Psicopedagogia, a partir do ano de dois mil (2.000) uma forma de estar compreendendo e intervindo junto aos aprendizes, preferencialmente os que apresentam dificuldades de aprendizagem.
Que aprender vai muito mais além de conteúdos, provas, notas, etc.
Que todo professor(a) precisa atuar com uma postura e  enfoque direcionados  ao olhar, ao observar e  ao registrar periodicamente da a dinâmica e dos procedimentos necessários que possam  estar auxiliando cada aprendiz na sua forma particular de como aprender.
Que temos que perceber  sobre o que está sendo significativo e o que precisa ser enquadrado quanto a seu desenvolvimento acadêmico e particular de ser.

Que todo aprendiz precisa de seu movimento individual e grupal.
Que todos podemos nos respeitar e interagir de forma pacífica.
Que todos podemos aprender com dinâmicas e materiais diversificados, que vã muito além da cópia, da memorização mecânica (decoreba), do lápis, da caneta e da borracha. 


Minhas Ações:
Reconhecer e divulgar o melhor de cada aprendiz, no modo particular e coletivo.
Exaltar os seus pontos mais relevantes e positivos.
Envolver todos na dinâmica da sala de aula. com rodas de conversas, registros de nossas ações em quanto grupo.
Planejar nossas ações para  aprender cada conteúdo, O que é mais importante aprender e para que aprender. Qual seu verdadeiro grau de importância e significado para nossa vidas.
Elencar  os recursos, as estratégias, os envolvidos: professor(a) e aprendizes.

Procuro, com essa visão de enquadramento, em uma visão e abordagem psicopedagógica  promover condições de aprendizagem baseadas em a currículo adaptado, com  respeito  ao entorno e garantia  de uma qualidade de aprendizagem e de vida  significativa e feliz .

Minhas reflexões:
Sei que cada aprendiz tem seu modo diferente e seu tempo de aprender. 

Que esse entendimento é o mais difícil de todos. 
Que todos temos que aprender  a aprender sempre.

Que não podemos parar no tempo.
Que somos  profissionais sempre em movimento.
Fica a indagação:
Qual movimento? 
Estagnado, Conformado, Retroativo ou Pró-ativo?


Bom trabalho sempre!
Fique com Deus!

Contato:

Rosangela  Vali / Pedagoga e Especialista em Psicopedagogia 

E-mail: rosangelavali@hotmail.com


3 comentários :

  1. Olá Rosangela, vim retribuir sua visita. Tbem sou pedagoga e psicopedagoga. Ja to levando o selinho do seu blog. bjss

    ResponderExcluir
  2. Oi Rosângela, venho hoje te oferecer um selinho de coração.
    Espero que aceite!
    BEIJOS!!

    ResponderExcluir

Fique a vontade.Compartilhe sua opinião!
Gosto de trocar e somar ideias.
Obrigada pela visita!
Um abraço, Rosangela

RESULTADO EM AÇÂO!



csp6961069

Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens,
pais e professores são a bússola para o caminho de
descobertas e aprendizagens significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)

"Somos diferentes, mas não queremos ser transformados em desiguais. As nossas vidas só precisam ser acrescidas de recursos especiais".

(Peça de teatro: Vozes da Consciência,BH)

MotivAÇÃO FAZ BEM!

Hoje Acordei Para Vencer! A automensagem positiva logo pela manhã é um estímulo que pode mudar o seu humor, fortalecer sua autoconfiança e, pensando positivo, você reunirá forças para vencer os obstáculos. Não deixe que nada afete seu estado de espírito. envolva-se pela música, cante ou ouça. Comece a sorrir mais cedo. ao invés de reclamar quando o relógio despertar, agradeça a Deus pela oportunidade de acordar mais um dia. O bom humor é contagiante: espalhe-o. Fale de coisas boas, de saúde, de sonhos, com quem você encontrar. Não se lamente, ajude as outras pessoas a perceber o que há de bom dentro de si. Não viva emoções mornas e vazias. Cultive seu interior, extraia o máximo das pequenas coisas. Seja transparente e deixe que as pessoas saibam que você as estima e precisa delas. Repense seus valores e dê a si mesmo a chance de crescer e ser mais feliz. Tudo que merece ser feito, merece ser bem feito. Torne suas obrigações atraentes, tenha garra e determinação. Mude, opine, ame o que você faz. Não trabalhe só por dinheiro e sim pela satisfação da "missão cumprida". Lembre-se: nem todos têm a mesma oportunidade. Pense no melhor, trabalhe pelo melhor e espere pelo melhor. Transforme seus momentos difíceis em oportunidades. Seja criativo, buscando alternativas e apresentando soluções ao invés de problemas. Veja o lado positivo das coisas e assim você tornará seu otimismo uma realidade. Não inveje. Admire! Seja entusiasta com o sucesso alheio como seria com o seu próprio. Idealize um modelo de competência e faça sua auto-avaliação para saber o que está lhe faltando para chegar lá. Ocupe seu tempo crescendo, desenvolvendo sua habilidade e seu tempo. Só assim não terá tempo para criticar os outros. Não acumule fracassos e sim experiências. Tire proveito de seus problemas e não se deixe abater por eles. Tenha fé e energia, acredite: Você pode tudo o que quiser. Perdoe, seja grande para os aborrecimentos, pobre para a raiva, forte para vencer o medo e feliz para permitir a presença de momentos infelizes. Não viva só para seu trabalho. Tenha outras atividades paralelas como: esportes, leitura... cultive amigos. O trabalho é uma das contribuições que damos para a vida, mas não se deve jogar nele todas as nossas expectativas de realizações. Finalmente, ria das coisas a sua volta, ria de seus problemas, de seus erros, ria da vida: "A gente começa a ser feliz quando é capaz de rir da gente mesmo". (Autor desconhecido)

Dicas de FAZER o BEM faz BEM!

“Ninguém e nada cresce sozinho. Sempre é preciso um olhar de apoio. Uma palavra de incentivo. Um gesto de compreensão. Uma atitude de segurança. Devemos, assim, sermos gratos. Aos que nos ajudaram a crescer. E termos o propósito de não parar. E não passar em vão pela vida”. (autor desconhecido)

Aprender no Coletivo!

"Quanto mais rica

a experiência humana,

tanto maior será

o material disponível

para a imaginação e

a criatividade".

(Lev S. Vygostsky)


Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens, pais e professores são a bússola para o caminho de descobertas e experiências
significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)


ATENDIMENTO PSICOPEDAGOGICO


Sou participante em...

Ocorreu um erro neste gadget
Loading...
Salmo 16:8 -
(Com ELE, nos FORTALECEMOS!)

Selinhos Amigos e Parceiros neste BLOG! OBRIGADA!