terça-feira, 19 de junho de 2012

Ética em Postura e Práticas Pedagógicas

(Rosangela Vali)

Nós professores, especialistas em geral, na área acadêmica, temos o hábito  de chamar a atenção de um aluno no coletivo ou de punir uma classe toda por algum comportamento inadequado de um ou outro aluno.
Será justo e eficaz estas situações de enfrentamento e de posturas rígidas como resoluções de todos os problemas de aprendizagem ou de comportamento?

Nós enquanto profissionais também não gostamos de sermos repreendidos no coletivo, por um colega de trabalho que poderia ser orientado em particular por quem fosse de direito fazê-lo.Esta situação geralmente ocorre quando o grupo de professores está reunido no intervalo(recreio) ou em reuniões administrativas e pedagógicas.
Eu particularmente, abomino e desaprovo esta situação. Torna-se desagradável e nunca sabemos de quem realmente se trata para tal situação abordada.

Temos que repensar nossa dinâmica  enquanto profissionais nos espaços de nossas instituições de ensino em geral. Como está a ética e o respeito profissional?
Valorizar, orientar a todos que precisam no seu tempo e espaço próprio para isso.
Fazer uso de dinâmicas positivas, de respeito e  de muito diálogo entre todos, pois acredito que assim precisam ser revistos em termos práticos nas nossas escolas...pois do modo que ocorrem não contribuem para uma melhora, mas sim, perpetua  cada  vez mais , a discórdia, a falta de amizade, de sintonia e principalmente de  desgaste e descrédito nas relações.
Enquanto professores, especialistas e pais, penso que temos que nos autoavaliarmos constantemente.
O primeiro passo é compreender que criança e adolescente pensam e vivem como criança/adolescente...precisam aprender a se construírem cotidianamente.São  seres que não estão prontos e acabados. Precisam dos familiares e dos professores.
Nós pais e professores temos que em muitas vezes nos colocar no lugar deles.Deixá-los participar do processo de formação social e cognitiva.
Eles precisam estar e sentirem que caminhamos lado a lado, ouvindo,orientando, incentivando,acreditando , respeitando  e esperando sempre o melhor deles.
Há todo um enquadramento de posturas, falas que precisam de sintonia, de linguagem uniforme, um na direção do outro, buscando a construção mais pacífica, significativa e produtiva em aprendizagem e convivência.

Gostaria de compartilhar este artigo que gostei, pois nos remete a uma reflexão e ressignificação de nossas práticas pedagógicas.




Perturbação Emocional na sala de aula

Perturbação emocional na sala de aula é algo real e é possível trabalhar. Perturbação emocional na sala de aula pretende modelar o comportamento através do reforço positivo para conduzir a uma melhoria da atitudes e comportamentos.

Para alunos com esta problemática é de extrema importância a estrutura de uma sala de aula. Os limites devem ser claros e explícitos, assim como as consequências para comportamentos inadequados. Sempre que um limite é ultrapassado e um comportamento inadequado surge, as consequências têm de ser colocadas em prática de forma consistente.

O educador deve trabalhar no sentido de estabelecer uma boa relação com o aluno emocionalmente perturbado, aproveitando cada oportunidade que surja ao longo do dia para reforçar os sentimentos de valor pessoal do aluno. Por exemplo, através de contato visual, de um sorriso, um elogio verdadeiro acerca de um trabalho ou até mesmo proximidade física consolidam a relação educador-aluno.
O educador deve estar sensível para o fato do aluno demonstrar algum sinal que está a ter alguma dificuldade ou a ter uma crise emocional, ou seja o aluno poderá estar prestes a perder o controlo. O ideal será permitir que o aluno se desloque para um espaço predefinido para recuperar o controlo e ganhar uma nova perspectiva sobre determinado acontecimento.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Fique a vontade.Compartilhe sua opinião!
Gosto de trocar e somar ideias.
Obrigada pela visita!
Um abraço, Rosangela

RESULTADO EM AÇÂO!



csp6961069

Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens,
pais e professores são a bússola para o caminho de
descobertas e aprendizagens significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)

"Somos diferentes, mas não queremos ser transformados em desiguais. As nossas vidas só precisam ser acrescidas de recursos especiais".

(Peça de teatro: Vozes da Consciência,BH)

MotivAÇÃO FAZ BEM!

Hoje Acordei Para Vencer! A automensagem positiva logo pela manhã é um estímulo que pode mudar o seu humor, fortalecer sua autoconfiança e, pensando positivo, você reunirá forças para vencer os obstáculos. Não deixe que nada afete seu estado de espírito. envolva-se pela música, cante ou ouça. Comece a sorrir mais cedo. ao invés de reclamar quando o relógio despertar, agradeça a Deus pela oportunidade de acordar mais um dia. O bom humor é contagiante: espalhe-o. Fale de coisas boas, de saúde, de sonhos, com quem você encontrar. Não se lamente, ajude as outras pessoas a perceber o que há de bom dentro de si. Não viva emoções mornas e vazias. Cultive seu interior, extraia o máximo das pequenas coisas. Seja transparente e deixe que as pessoas saibam que você as estima e precisa delas. Repense seus valores e dê a si mesmo a chance de crescer e ser mais feliz. Tudo que merece ser feito, merece ser bem feito. Torne suas obrigações atraentes, tenha garra e determinação. Mude, opine, ame o que você faz. Não trabalhe só por dinheiro e sim pela satisfação da "missão cumprida". Lembre-se: nem todos têm a mesma oportunidade. Pense no melhor, trabalhe pelo melhor e espere pelo melhor. Transforme seus momentos difíceis em oportunidades. Seja criativo, buscando alternativas e apresentando soluções ao invés de problemas. Veja o lado positivo das coisas e assim você tornará seu otimismo uma realidade. Não inveje. Admire! Seja entusiasta com o sucesso alheio como seria com o seu próprio. Idealize um modelo de competência e faça sua auto-avaliação para saber o que está lhe faltando para chegar lá. Ocupe seu tempo crescendo, desenvolvendo sua habilidade e seu tempo. Só assim não terá tempo para criticar os outros. Não acumule fracassos e sim experiências. Tire proveito de seus problemas e não se deixe abater por eles. Tenha fé e energia, acredite: Você pode tudo o que quiser. Perdoe, seja grande para os aborrecimentos, pobre para a raiva, forte para vencer o medo e feliz para permitir a presença de momentos infelizes. Não viva só para seu trabalho. Tenha outras atividades paralelas como: esportes, leitura... cultive amigos. O trabalho é uma das contribuições que damos para a vida, mas não se deve jogar nele todas as nossas expectativas de realizações. Finalmente, ria das coisas a sua volta, ria de seus problemas, de seus erros, ria da vida: "A gente começa a ser feliz quando é capaz de rir da gente mesmo". (Autor desconhecido)

Dicas de FAZER o BEM faz BEM!

“Ninguém e nada cresce sozinho. Sempre é preciso um olhar de apoio. Uma palavra de incentivo. Um gesto de compreensão. Uma atitude de segurança. Devemos, assim, sermos gratos. Aos que nos ajudaram a crescer. E termos o propósito de não parar. E não passar em vão pela vida”. (autor desconhecido)

Aprender no Coletivo!

"Quanto mais rica

a experiência humana,

tanto maior será

o material disponível

para a imaginação e

a criatividade".

(Lev S. Vygostsky)


Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens, pais e professores são a bússola para o caminho de descobertas e experiências
significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)


ATENDIMENTO PSICOPEDAGOGICO


Sou participante em...

Ocorreu um erro neste gadget
Loading...
Salmo 16:8 -
(Com ELE, nos FORTALECEMOS!)

Selinhos Amigos e Parceiros neste BLOG! OBRIGADA!