sábado, 29 de setembro de 2012

Ortografia- Dificuldades e Estratégias

Todo espaço de aprendizagem escolar exige ambiente acolhedor, combinados, planejamento, conteúdo, avaliação,  grupos  de trabalhos cooperativos, interação saudável, valorização e exposição das potencialidades individuais e  do coletivo pertinentes a todos os integrantes aprendizes.Dar e fazer acontecer cotidianamente a validação de cada um.
O desafio de todo Professor e Psicopedagogo é descobrir a forma como cada sujeito aprende e respeitar o tempo demandado por ele para a formulação e ampliação do seu próprio conhecimento. 
Diante disso, é preciso ressaltar que a aprendizagem é uma capacidade inerente e reflexiva de todo sujeito e em toda tentativa de aprendizagem, mesmo que esta pareça fracassada resultará sempre em uma aprendizagem.

A escrita ao lado da linguagem oral é um instrumento necessário para que a pessoa possa atuar na sociedade, atendendo as exigências da atualidade.
A escrita correta é a imagem refletida do indivíduo!Representa sua cultura, conhecimento e domínio da língua!

Considero, que o trabalho com a ortografia deve ser um dos objetivos essenciais para os anos iniciais do Ensino Infantil e Fundamental!

Escrever corretamente é fruto de atividades realizadas com base nos 4 aspectos que envolvem a linguagem: Falar, Ouvir, Ler e Escrever!

Escrever com correção é fruto de eficaz aprendizagem desde o início da alfabetização!

Escrita correta não será resultado de treinamento,fruto de atividades de fixação?


É importante ter em mente quais são os principais requisitos a serem considerados em relação à aquisição de ortografia :
*Desenvolvimento adequado de processamento de informação visual,resultando, neste caso, o desenvolvimento da memória particularmente relevante visual, como uma fonte de memória das palavras de escrita, quer da parte de trás ou da leitura.
*Desenvolvimento adequado de processamento auditivo da informação,neste caso, ambos são audição discriminatória, chave como memória auditiva.Discriminação auditiva nos permitem estabelecer claramente o som e, assim, associar um script correspondente, neste caso, por exemplo substituições frequentes de r l. 
Memória auditiva nos permite lembrar de informações verbais e, portanto, pode ser transcrita a ser fundamental, especialmente quando se trata de palavras longas ou desconhecidas, enquanto é a capacidade de armazenar informações, como podemos analisar.
Outro ponto a considerar no processamento visual de informação encontra-se em orientação espacial e maturidade perceptiva, ou seja, a uma habilidade que nos permite distinguir corretamente as simetrias, sejam eles simples ou complexos. A presença de dificuldades nesse ponto pode levar a rotações de cartas e investir neles, seja na parte traseira ou na escrita de um ditado ou expressão escrita.
Integração espácio-temporal, esta é a chave do ritmo de aquisição de linguagem, a valorização das palavras e suas partes. O ritmo é fundamental quando você pode separar palavras ou sílabas de discriminar corretamente e, portanto, de enfatizar. Nos casos em que o ritmo não está bem estabelecida nas dificuldades de ortografia encontro de  junções naturais que são possíveis palavras ou fragmentação destas.

A correlação letra/fonema é deveras incoerente! Mesmo fonema é grafado de diferentes maneiras: letras diferentes /combinações de letras, exemplo:/s/ sei, crescer, cresço, assassino, cedo, caça, excelente, auxílio, exsudar e paz, o que causa dúvidas na maioria das pessoas!

A pessoa se habitua a escrever de forma correta ou incorreta, adquire automatismos. É um processo essencialmente mecânico, onde o exercício e o constante treinamento para a formação de imagens visuais, auditivas e motoras exercem papel preponderante.É necessário que o professor tenha presente no processo ensino- aprendizagem, os vários tipos de aprendizagem, variando os estímulos visuais, auditivos e motores.


Para iniciar o trabalho de ortografia é necessário partir das dificuldades apresentadas pelos alunos na escrita. Para verificar a aprendizagem, o Professor poderá utilizar um ditado de palavras ou de frases, onde apareçam as palavras. Outro recurso é solicitar aos alunos formação de frases com as palavras. É importante que o Professor faça uma análise dos cadernos, para realizar o diagnóstico e o planejamento das atividades a serem realizadas!

Uma atividade fácil de ser realizada em sala de aula é o

TREINO ORTOGRÁFICO, em que o professor, após realizado o diagnóstico, planeja o estudo de um conjunto de palavras que atendam a uma dificuldade específica. Exemplo: ss/ x/ ch/ g/ j/ sc.

Cada semana poderá se preparar uma unidade! 

Será realizado um treino deve ser diário com a duração de 10 minutos, estudando duas ou três palavras, de acordo com a seguinte técnica:
1º passo: Olhe a palavra. Pronuncie-a devagar!
2º passo: Olhe a a palavra separando-a em sílabas!
3º passo: Feche os olhos, diga a palavra devagar, letra por letra!
4º passo: Escreva a palavra sem olhar!
5º passo: Se acertou escreva mais duas vezes. Se errou repita todos os passos.
É IMPORTANTE COLOCAR CARTAZES NA SALA DE AULA COM AS PALAVRAS TRABALHADAS NA SEMANA E REALIZAR ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO COM OS ALUNOS QUE APRESENTAREM DIFICULDADES NA GRAFIA DAS PALAVRAS ESTUDADAS!
Outra atividade que deve ser realizada em sala de aula visando auxiliar o trabalho com a ortografia é o USO DO DICIONÁRIO!, instrumento de grande valor no desenvolvimento da linguagem, indispensável para enriquecer o vocabulário e, principalmente para a recuperação das deficiências ortográficas.O seu uso deve ser sistemático a partir do 4º ano, e já pode ser iniciado no 2º semestre do 3º ano,quando as crianças poderão confeccionar o seu próprio dicionário em uma caderneta ou um caderno organizado em ordem alfabética, conforme vão sendo trabalhadas as dificuldades ortográficas as crianças irão registrando as palavras conhecidas em "seu dicionário particular"!
Conhecimento e habilidades essenciais para o uso do dicionário:
1º Localização da palavra;
2º Descoberta da pronúncia da palavra;
3º Descoberta do significado da palavra.
NO DICIONÁRIO ESTÁ O INVENTÁRIO DA NOSSA LÍNGUA!
É IMPORTANTE QUE O PROFESSOR ESTIMULE E ORIENTE O SEU ALUNO A UTILIZÁ-LO!

Mais Atividades para trabalhar com a Ortografia:


1- Monte e remonte:
Escreva no quadro ou em folha chamex uma palavra que tenha o menor número de letras repetidas. Estipular um tempo para a duração da atividade e pedir aos alunos para lembrarem e escreverem o maior número de palavras possíveis com as letras dessa palavra, sem repeti-las no mesmo termo encontrado.
Obs.: Esta atividade trabalha a rapidez, percepção visual, ortografia e vocabulário.
Exemplo: Palavra escolhida: PERNAMBUCO: Palavras encontradas: perna- barco- compra- boca- nabo- banco- copa- ano- reco- rapé- ópera- amor- rebu- comer- peru- perca- bem- não- rena- buraco- mar- muro- pano- pé- cor- pêra- rã- mãe- pena- uno- Nabuco- pau- cobra- Mané- Norma- Carmem.

2- Palavra puxa palavra:
Nessa atividade, o professor lança uma palavra e os alunos apresentam outras que se relacionem com a primeira.
Exemplo: Palavra escolhida: FOGO. Palavras relacionadas: incêndio- dor- ambulância- feridos- bombeiro- morte- gritos- pânico- tristeza- medo- fogão- comida- queimadura.

3- Memória auditiva:
O professor diz uma frase que deve ser repetida e ampliada pelo aluno.
Exemplo: Professor: Fui ao zoológico e vi um elefante...
Aluno 1: Fui ao zoológico e vi um elefante e um urso...
Aluno 2: Fui ao zoológico e vi um elefante, um urso e uma girafa...Dizer duas palavras:
O aluno deverá separar a primeira sílaba de cada uma e formar outra:
Exemplo: PEdal RAto Pêra FIguraTApeteFita PAnelaNOveloPano 
Usando a mesma técnica, aumentar o número de palavras, criando dificuldades crescentes.Exemplo:TOalhaPEdraTElaTopeteCIgarroGAlhoNAboCiganaCAbeloNEvadaTApaCanetaTRIoANtesGUiaLOtoTriânguloAgoraPOSteTInaLAçoApostilaCAmaRAmoMUdaJOgoCaramujo

4- Invente e conte:
Espalhar sobre as mesmas várias gravuras que retratem ambientes e personagens. Cada aluno deverá selecionar uma delas e criar uma narrativa oral em que a figura sirva de cenário para a história vivida pela personagem da gravura. Chamar a atenção dos alunos para a seqüência lógica dos fatos narrados.

5- Brincando de poeta:
O professor oferece aos alunos uma caixa contendo cartões, cada um com uma palavra, sendo que as palavras rimam entre si.
Exemplo: pato- mato- gato Coelho- Botelho- joelho Abelha- orelha- ovelha
Cada aluno, após ter recebido um dos cartões, deverá procurar entre os colegas aqueles que têm o cartão com uma palavra que rime com a sua.
Agrupados por terminação, os alunos escreverão outras palavras que rimem com as que já possuem.

6- De mãos dadas com a poesia.
Material: Textos sobre amor, paixão, ou outros sentimentos humanos (Sugestão: Música: Coração de Estudante, de Milton Nascimento), papel, caneta.
Ler o texto, ouvir e cantar a música. O professor convida os alunos a analisarem seu coração, dizendo-lhes: Abra seu coração. O que você vê dentro dele? O que sente?  O que lhe incomoda? O que gostaria de dizer em nome dele?
Logo após, passe para o papel o que seu coração gostaria de falar se tivesse voz.
O trabalho pode ser ilustrado.

7- Contando histórias:
Material: textos de Contos de Fadas e Paródias. (Sugestões: Chapeuzinho Vermelho de raiva, Chapeuzinho Amarelo).
Iniciar a atividade perguntando à turma se alguém quer contar um conto de fadas. Se não houver voluntários, começar a história e pedir que os alunos continuem. Pedir aos alunos que relembrem os contos de fadas, atualizando-as.
Como seria a história se acontecesse hoje? Naturalmente, introduzindo-se elementos do cotidiano na vida moderna, surge uma nova história.
Exemplo: “A casa dos três porquinhos tinha um alarme eletrônico e um visor detectava a aproximação do lobo”. “Os caçadores do lobo, que comeu a vovó, usavam um helicóptero de resgate da polícia para capturá-lo”.

8- Viagem ao espaço infinito da imaginação.
Distribuir papel e caneta hidrográfica para a turma e colocar no fundo musical.
Pedir aos alunos que coloquem a ponta da caneta sobre o papel e, de olhos fechados, acompanhem o ritmo da música desenhando sobre o papel.
Desligar a música e, imediatamente, todos devem parar de desenhar e abrir os olhos para ver o desenho que fizeram.
A partir das linhas traçadas, colorindo os espaços vazios, os alunos vão criar um espaço mágico, um novo universo, e nele um novo planeta também.
Assim, como o autor do texto, Ziraldo, (Flicts) cada aluno criará seu planeta.
Os alunos vão também batizar o planeta com um nome bem sugestivo.
Para isso, cada um escreverá cinco letras, sendo pelo menos uma vogal, e cada letra em um pedaço de papel.
Cada aluno ficará com uma vogal e as demais letras serão colocadas numa caixa, misturadas, e cada letra um deverá retirar dela quatro novas letras.
De posse das letras sorteadas e da vogal, cada um criará um nome para batizar o planeta. Registrar o nome do planeta e localizá-lo no espaço mágico. Tendo em vista a cor, a localização e o nome, atribuir-lhe cinco características.
Na segunda etapa de criação, falar sobre: a origem do novo planeta; o papel que desempenha no mundo; seu relacionamento com os astros a sua volta; a mensagem que gostaria de transmitir.

9- Jogo das cores.
Material: folhas de papel, lápis preto e de cor e caixa de papel para colocar as perguntas.
O professor coloca numa caixa várias perguntas cujas respostas deverão ser dadas pelos alunos através da escolha de uma cor.
Exemplo: Qual é a cor do amor? E da alegria, da felicidade, da paz, da sabedoria, da pureza, da satisfação, da calma, da paciência? Justifique sua resposta.
O aluno escolherá um sentimento e escreverá seu nome na cor que, em sua opinião mais combina com o sentimento escolhido.
Exemplo: AMOR: azul Com cada umas das letras do termo escolhido, o aluno escreverá outras palavras, relacionadas pelo sentido:Amizade Meiguice Orgulho Riso
Ilustrar a palavra, fazendo um desenho com a cor escolhida.
O professor poderá fixar os desenhos agrupados por cor no mural, formando assim um arco-íris. Os desenhos poderão, também ser utilizados como ilustração de um livro de “criação coletiva”. 


Observação: Tendo em mãos estas sugestões o professor pode trabalhar ortografia de forma agradável e satisfatória para os alunos. Basta portanto, usar da criatividade e da vontade de ver seu aluno escrevendo corretamente

Portanto,é responsabilidade da escola oportunizar atividades que favoreçam a aquisição de mecanismos de fixação da grafia correta!

É importante salientar que nem sempre seus alunos cometem erros na grafia por falta de atenção ou desinteresse. Outros motivos podem existir para cometerem tantos erros na escrita, como problemas de Disortografia, que os levam a cometer erros específicos como: Substituições de letras p/b t/d f/v c/g s/c ss/ç; Omissões de letras, de palavras, de sílabas; Rotações: p/b b/p p/q p/d q/d (bado/dado); Inversões: (los/sol) (paria/praia) Acréscimos: (muinto/ teim) e Dissociação: (relam pago), bem como, omissão de acentos, pontuação, troca de letras maiúsculas e minúsculas e separação no final da linha.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Fique a vontade.Compartilhe sua opinião!
Gosto de trocar e somar ideias.
Obrigada pela visita!
Um abraço, Rosangela

RESULTADO EM AÇÂO!



csp6961069

Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens,
pais e professores são a bússola para o caminho de
descobertas e aprendizagens significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)

"Somos diferentes, mas não queremos ser transformados em desiguais. As nossas vidas só precisam ser acrescidas de recursos especiais".

(Peça de teatro: Vozes da Consciência,BH)

MotivAÇÃO FAZ BEM!

Hoje Acordei Para Vencer! A automensagem positiva logo pela manhã é um estímulo que pode mudar o seu humor, fortalecer sua autoconfiança e, pensando positivo, você reunirá forças para vencer os obstáculos. Não deixe que nada afete seu estado de espírito. envolva-se pela música, cante ou ouça. Comece a sorrir mais cedo. ao invés de reclamar quando o relógio despertar, agradeça a Deus pela oportunidade de acordar mais um dia. O bom humor é contagiante: espalhe-o. Fale de coisas boas, de saúde, de sonhos, com quem você encontrar. Não se lamente, ajude as outras pessoas a perceber o que há de bom dentro de si. Não viva emoções mornas e vazias. Cultive seu interior, extraia o máximo das pequenas coisas. Seja transparente e deixe que as pessoas saibam que você as estima e precisa delas. Repense seus valores e dê a si mesmo a chance de crescer e ser mais feliz. Tudo que merece ser feito, merece ser bem feito. Torne suas obrigações atraentes, tenha garra e determinação. Mude, opine, ame o que você faz. Não trabalhe só por dinheiro e sim pela satisfação da "missão cumprida". Lembre-se: nem todos têm a mesma oportunidade. Pense no melhor, trabalhe pelo melhor e espere pelo melhor. Transforme seus momentos difíceis em oportunidades. Seja criativo, buscando alternativas e apresentando soluções ao invés de problemas. Veja o lado positivo das coisas e assim você tornará seu otimismo uma realidade. Não inveje. Admire! Seja entusiasta com o sucesso alheio como seria com o seu próprio. Idealize um modelo de competência e faça sua auto-avaliação para saber o que está lhe faltando para chegar lá. Ocupe seu tempo crescendo, desenvolvendo sua habilidade e seu tempo. Só assim não terá tempo para criticar os outros. Não acumule fracassos e sim experiências. Tire proveito de seus problemas e não se deixe abater por eles. Tenha fé e energia, acredite: Você pode tudo o que quiser. Perdoe, seja grande para os aborrecimentos, pobre para a raiva, forte para vencer o medo e feliz para permitir a presença de momentos infelizes. Não viva só para seu trabalho. Tenha outras atividades paralelas como: esportes, leitura... cultive amigos. O trabalho é uma das contribuições que damos para a vida, mas não se deve jogar nele todas as nossas expectativas de realizações. Finalmente, ria das coisas a sua volta, ria de seus problemas, de seus erros, ria da vida: "A gente começa a ser feliz quando é capaz de rir da gente mesmo". (Autor desconhecido)

Dicas de FAZER o BEM faz BEM!

“Ninguém e nada cresce sozinho. Sempre é preciso um olhar de apoio. Uma palavra de incentivo. Um gesto de compreensão. Uma atitude de segurança. Devemos, assim, sermos gratos. Aos que nos ajudaram a crescer. E termos o propósito de não parar. E não passar em vão pela vida”. (autor desconhecido)

Aprender no Coletivo!

"Quanto mais rica

a experiência humana,

tanto maior será

o material disponível

para a imaginação e

a criatividade".

(Lev S. Vygostsky)


Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens, pais e professores são a bússola para o caminho de descobertas e experiências
significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)


ATENDIMENTO PSICOPEDAGOGICO


Sou participante em...

Ocorreu um erro neste gadget
Loading...
Salmo 16:8 -
(Com ELE, nos FORTALECEMOS!)

Selinhos Amigos e Parceiros neste BLOG! OBRIGADA!