segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

TDAH - Meu relato de CASO


Eu particularmente, já trabalhei com aluno em sala de aula com o diagnóstico médico de TDAH e venho repassar a experiência e resultados que obtive, ressaltando que precisei dar um enfoque psicopedagógico ao caso, com base nas ferramentas e possibilidades de intervenção que precisei e adaptei ao caso.

Ações e estratégias que foram fundamentais:
*o aluno era medicado corretamente pela mãe, a qual seguia as recomendações médicas, o que possibilitou uma maior  concentração e organização de suas ideias e registros.
*eu recebia cópia de relatório de acompanhamento do médico para estar ciente de seu desenvolvimento, avanços e ajustes pedagógicos necessários em meu planejamento.
*o aluno também tinha acompanhamento psicológico já que estava no período de pré-adolescência. Hormônios aflorando a mil! Conversava periodicamente com a especialista;
*o aluno participava de aulas de reforço escolar no contraturno, duas vezes na semana, principalmente para trabalhar sequências de ideias e registro lógico e produtivo;
*eu contava com a parceria do serviço de orientação educacional da escola que intermediava os contatos entre eu, família e especialistas que o atendiam;
*delegava ao aluno atribuições em grupo, principalmente como líder, já que gostava muito de oralizar e tinha um repertório muito rico em conhecimentos gerais;
*apresentava trabalhos de modo individual, em dupla, em grupo , já que tinha iniciativa e gostava muito de expor suas ideias.Minha participação foi de acompanhar e pontuar suas apresentações quando apresentava momentos de desatenção;
*foi designado muitas vezes e combinado com a classe que seria o ilustrador de textos coletivos, cartazes e outros, já que tinha muita habilidade para o desenho, que é o caso da maioria dos alunos que tem diagnóstico de TDAH;
*o cuidado maior foi de desmistificar o rótulo de rebelde, agitado e mau comportado que o aluno vinha acumulando em sua trajetória acadêmica. O ponto chave foi o diálogo  com toda a classe, sem o aluno, para elucidar o que era TDAH e estabelecer estratégias, registrar e aplicar no dia-a-dia em sala de aula e fora da mesma. Este processo exigiu aprendizado também da classe, que em muitos momentos precisou de intervenção para autoavaliar-se e mudar algumas posturas e ações;
*extendi na sequencia  o mesmo diálogo com os demais professores,direção,supervisão, orientação, bibliotecária, secretárias, agentes operacionais de limpeza e de merenda;
*consegui o entendimento que seria fundamental todos falarmos a mesma linguagem e termos um olhar de compromisso com esse aluno, tanto nas falas quanto na cobrança de resultados e comportamento. 

Conclusão e registro dos resultados alcançados pelo aluno:
-melhora de autoestima e vínculo com a aprendizagem e com os colegas da classe;
-melhora nos cálculos matemáticos com rotina de atividades e tempo combinadas com o aluno;
-melhora na organização e registro de ideias e atividades em livros, cadernos, avaliações,etc.
-aprovação para o ano/série seguinte.

Observação:
Confesso que resistências houveram, mas que no final consegui a sensibilização da maioria dos envolvidos, prevalecendo na prática um trabalho que resultou em  afetividade, aprendizado e parceria.

Rosangela L. S. Vali – Especialista em Psicopedagogia
-------------------------------------------------------------------------

Um comentário :

  1. Oi, Rosângela, parabens pelo seu excelente trabalho. Acredito que se todos os professores dedicassem como voce á estes alunos, amenizariam seus problemas em sala de aula, sem contar que seu empenho teve com certeza ótimos resultados! Que Deus te abençoe sempre!

    ResponderExcluir

Fique a vontade.Compartilhe sua opinião!
Gosto de trocar e somar ideias.
Obrigada pela visita!
Um abraço, Rosangela

RESULTADO EM AÇÂO!



csp6961069

Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens,
pais e professores são a bússola para o caminho de
descobertas e aprendizagens significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)

"Somos diferentes, mas não queremos ser transformados em desiguais. As nossas vidas só precisam ser acrescidas de recursos especiais".

(Peça de teatro: Vozes da Consciência,BH)

MotivAÇÃO FAZ BEM!

Hoje Acordei Para Vencer! A automensagem positiva logo pela manhã é um estímulo que pode mudar o seu humor, fortalecer sua autoconfiança e, pensando positivo, você reunirá forças para vencer os obstáculos. Não deixe que nada afete seu estado de espírito. envolva-se pela música, cante ou ouça. Comece a sorrir mais cedo. ao invés de reclamar quando o relógio despertar, agradeça a Deus pela oportunidade de acordar mais um dia. O bom humor é contagiante: espalhe-o. Fale de coisas boas, de saúde, de sonhos, com quem você encontrar. Não se lamente, ajude as outras pessoas a perceber o que há de bom dentro de si. Não viva emoções mornas e vazias. Cultive seu interior, extraia o máximo das pequenas coisas. Seja transparente e deixe que as pessoas saibam que você as estima e precisa delas. Repense seus valores e dê a si mesmo a chance de crescer e ser mais feliz. Tudo que merece ser feito, merece ser bem feito. Torne suas obrigações atraentes, tenha garra e determinação. Mude, opine, ame o que você faz. Não trabalhe só por dinheiro e sim pela satisfação da "missão cumprida". Lembre-se: nem todos têm a mesma oportunidade. Pense no melhor, trabalhe pelo melhor e espere pelo melhor. Transforme seus momentos difíceis em oportunidades. Seja criativo, buscando alternativas e apresentando soluções ao invés de problemas. Veja o lado positivo das coisas e assim você tornará seu otimismo uma realidade. Não inveje. Admire! Seja entusiasta com o sucesso alheio como seria com o seu próprio. Idealize um modelo de competência e faça sua auto-avaliação para saber o que está lhe faltando para chegar lá. Ocupe seu tempo crescendo, desenvolvendo sua habilidade e seu tempo. Só assim não terá tempo para criticar os outros. Não acumule fracassos e sim experiências. Tire proveito de seus problemas e não se deixe abater por eles. Tenha fé e energia, acredite: Você pode tudo o que quiser. Perdoe, seja grande para os aborrecimentos, pobre para a raiva, forte para vencer o medo e feliz para permitir a presença de momentos infelizes. Não viva só para seu trabalho. Tenha outras atividades paralelas como: esportes, leitura... cultive amigos. O trabalho é uma das contribuições que damos para a vida, mas não se deve jogar nele todas as nossas expectativas de realizações. Finalmente, ria das coisas a sua volta, ria de seus problemas, de seus erros, ria da vida: "A gente começa a ser feliz quando é capaz de rir da gente mesmo". (Autor desconhecido)

Dicas de FAZER o BEM faz BEM!

“Ninguém e nada cresce sozinho. Sempre é preciso um olhar de apoio. Uma palavra de incentivo. Um gesto de compreensão. Uma atitude de segurança. Devemos, assim, sermos gratos. Aos que nos ajudaram a crescer. E termos o propósito de não parar. E não passar em vão pela vida”. (autor desconhecido)

Aprender no Coletivo!

"Quanto mais rica

a experiência humana,

tanto maior será

o material disponível

para a imaginação e

a criatividade".

(Lev S. Vygostsky)


Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens, pais e professores são a bússola para o caminho de descobertas e experiências
significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)


ATENDIMENTO PSICOPEDAGOGICO


Sou participante em...

Ocorreu um erro neste gadget
Loading...
Salmo 16:8 -
(Com ELE, nos FORTALECEMOS!)

Selinhos Amigos e Parceiros neste BLOG! OBRIGADA!