sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Distração, desatenção e falta de concentração - Isto tem a ver com TDAH?

Distração tem dois significados principais. O primeiro é diversão, lazer. O segundo é falta de atenção, pouca concentração. Distração, como diversão e lazer, tem sempre espaço em nossas vidas – ou é ao menos desejada. Já distração com sentido de pouca atenção ou concentração insuficiente é uma das queixas mais frequentes, tanto em pais, crianças e jovens estudantes ou adultos. Neste caso, é comum pensar em TDAH - Transtorno de Déficit de Atenção, com ou sem hiperatividade.


Distração, desatenção e falta de concentração - O que isto tem a ver com TDAH?

Se distração / desatenção é dificuldade de concentração ou falta de atenção, quais seriam as causas? 
A capacidade de prestar atenção / concentração depende diretamente do funcionamento adequado e integrado de diversas áreas cerebrais. O cérebro está constantemente sujeito a um bombardeio de informações, provenientes tanto dos órgãos sensoriais (as origens mais conhecidas) quanto de sistemas internos de regulação orgânica (como sistemas de controle da postura corporal ou funcionamento metabólico).

Sabe-se também que a quantidade de informação que o cérebro recebe é muito superior à sua capacidade de lidar com ela – processá-la. Alguns especialistas estimam que o cérebro receba cerca de 40 bilhões de bits de informação por segundo, enquanto sua capacidade de processamento é limitada, cerca de 2 bilhões. Assim, é fácil concluir pela necessidade de filtrar ou bloquear boa parte destas informações.

Prestar atenção, essencialmente, significa inibir distrações, de forma flexível e de acordo com as necessidades de cada instante. 
No TDAH, estas capacidades estão prejudicadas.
Os quatro tipos de capacidades a tencionais:
Atenção Seletiva - É diretamente relacionada à inibição de distrações, representa a capacidade de focar em algum estímulo, ao mesmo tempo permanecendo insensível a outros – ou seja, concentrando-se em algum aspecto e, ao mesmo tempo, distraindo-se de outros.
Atenção Sustentada - Refere-se à capacidade de sustentação do esforço a tencional, mantendo o foco em uma mesma atividade ou estímulo por um período mais extenso. Concentração significa sustentação da atenção seletiva, inibindo distrações, por tempo prolongado.
Atenção Alternada - Corresponde à capacidade de alternar o foco da atenção, a depender das necessidades do contexto, bem como retomar o foco da atenção após alguma interferência. Um bom exemplo é alguém trabalhando, que é interrompido por um telefonema e, ao seu final, retoma seu trabalho.
Atenção Dividida - Corresponde à capacidade de focar simultaneamente dois ou mais contextos.

Todos os problemas com concentração / distração são TDAH?

Problemas com pouca concentração ou excesso de distração podem ser muito prejudiciais. Podem ser causados por transtornos específicos, como o TDAH – Transtorno de Déficit de Atenção / Hiperatividade. Contudo, o inverso não é verdadeiro - nem todas as queixas de distração ou pouca concentração são causados pelo TDAH / déficit de atenção.

Um dos grandes responsáveis pela atribuição dos problemas de pouca concentração / distração ao TDAH – déficit de atenção é o próprio nome deste transtorno. Para alguém que sofre com distração, é fácil concluir que seu problema seja "O" déficit de atenção. Esta simplificação pode ser prejudicial, se levar a um diagnóstico incorreto, impedir buscar ajuda ou encontrar o tratamento adequado. Leia mais sobre diagnóstico diferencial de TDAH, distração e dificuldades de concentração.
É incorreto dizer que pessoas que sofram de TDAH não tenham capacidade de prestar atenção ou de concentração. Pelo contrário, algumas delas podem se concentrar muito além do que é comum (boa atenção seletiva e sustentada), porém apenas diante de alguns tipos de estímulo – isto é chamado de hiperfoco. O fato de apenas alguns poucos estímulos e circunstâncias serem capazes de capturar o foco da atenção é que torna o hiperfoco problemático. Em outros casos, as maiores dificuldades podem estar na atenção flexível, que dificulta retomar o foco após interrupções.

As capacidades de atenção e memória de curto prazo estão entre as funções cognitivas mais suscetíveis à influência prejudicial de fatores internos ou externos. Isto torna ainda mais complexo buscar explicações para os problemas de atenção, em todas as suas formas: distração, dificuldades em sustentar o esforço, flexibilidade. Sabe-se que dificuldades são encontradas não apenas no TDAH – Déficit de Atenção, mas também em vários problemas e transtornos. É fundamental saber que hádiagnóstico e tratamento para TDAH.

Concentração insuficiente e incapacidade em sustentar o esforço podem, por exemplo, serem causados por problemas / transtornos de aprendizagem (linguagem, leitura, escrita, matemática, etc.). 
A criança ou jovem pode sentir-se ansioso, estressado ou deprimido quando solicitado a fazer tarefas difíceis e desenvolver uma rota-de-fuga, desligando-se daquele mundo. O mesmo pode ocorrer em situações de forte pressão emocional. Alguns autores chegam a considerar o TDAH como derivado primariamente de comportamentos de esquiva de situações aversivas.

Preocupação excessiva,baixa autoestima, ansiedade, perfeccionismo, medos em geral podem funcionar como atratores para a atenção e, portanto, prejudicar o controle voluntário e a inibição destes pensamentos negativos. Em menor grau, acontece a todas as pessoas. Porém, naqueles que já apresentam transtornos de ansiedade, depressão ou outros transtornos, ocorre com maior severidade.

Outros aspectos cotidianos também devem ser levados em conta, como cansaço, stress crônico, descanso insuficiente, sono de má qualidade, abuso de álcool, drogas ou outras substâncias. Neste caso, dizemos que o problema de atenção é secundário (há outro problema anterior que pode explicar o comprometimento da atenção).

Pessoas com queixas significativas com concentração, pouca sustentação do esforço, dificuldades com memória e esquecimento frequentes devem procurar avaliação de um especialista, para diagnóstico diferencial e posterior encaminhamento para um tratamento adequado.

Fonte:http://www.dda-deficitdeatencao.com.br/tdah/distracao-desatencao-concentracao.html

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Fique a vontade.Compartilhe sua opinião!
Gosto de trocar e somar ideias.
Obrigada pela visita!
Um abraço, Rosangela

RESULTADO EM AÇÂO!



csp6961069

Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens,
pais e professores são a bússola para o caminho de
descobertas e aprendizagens significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)

"Somos diferentes, mas não queremos ser transformados em desiguais. As nossas vidas só precisam ser acrescidas de recursos especiais".

(Peça de teatro: Vozes da Consciência,BH)

MotivAÇÃO FAZ BEM!

Hoje Acordei Para Vencer! A automensagem positiva logo pela manhã é um estímulo que pode mudar o seu humor, fortalecer sua autoconfiança e, pensando positivo, você reunirá forças para vencer os obstáculos. Não deixe que nada afete seu estado de espírito. envolva-se pela música, cante ou ouça. Comece a sorrir mais cedo. ao invés de reclamar quando o relógio despertar, agradeça a Deus pela oportunidade de acordar mais um dia. O bom humor é contagiante: espalhe-o. Fale de coisas boas, de saúde, de sonhos, com quem você encontrar. Não se lamente, ajude as outras pessoas a perceber o que há de bom dentro de si. Não viva emoções mornas e vazias. Cultive seu interior, extraia o máximo das pequenas coisas. Seja transparente e deixe que as pessoas saibam que você as estima e precisa delas. Repense seus valores e dê a si mesmo a chance de crescer e ser mais feliz. Tudo que merece ser feito, merece ser bem feito. Torne suas obrigações atraentes, tenha garra e determinação. Mude, opine, ame o que você faz. Não trabalhe só por dinheiro e sim pela satisfação da "missão cumprida". Lembre-se: nem todos têm a mesma oportunidade. Pense no melhor, trabalhe pelo melhor e espere pelo melhor. Transforme seus momentos difíceis em oportunidades. Seja criativo, buscando alternativas e apresentando soluções ao invés de problemas. Veja o lado positivo das coisas e assim você tornará seu otimismo uma realidade. Não inveje. Admire! Seja entusiasta com o sucesso alheio como seria com o seu próprio. Idealize um modelo de competência e faça sua auto-avaliação para saber o que está lhe faltando para chegar lá. Ocupe seu tempo crescendo, desenvolvendo sua habilidade e seu tempo. Só assim não terá tempo para criticar os outros. Não acumule fracassos e sim experiências. Tire proveito de seus problemas e não se deixe abater por eles. Tenha fé e energia, acredite: Você pode tudo o que quiser. Perdoe, seja grande para os aborrecimentos, pobre para a raiva, forte para vencer o medo e feliz para permitir a presença de momentos infelizes. Não viva só para seu trabalho. Tenha outras atividades paralelas como: esportes, leitura... cultive amigos. O trabalho é uma das contribuições que damos para a vida, mas não se deve jogar nele todas as nossas expectativas de realizações. Finalmente, ria das coisas a sua volta, ria de seus problemas, de seus erros, ria da vida: "A gente começa a ser feliz quando é capaz de rir da gente mesmo". (Autor desconhecido)

Dicas de FAZER o BEM faz BEM!

“Ninguém e nada cresce sozinho. Sempre é preciso um olhar de apoio. Uma palavra de incentivo. Um gesto de compreensão. Uma atitude de segurança. Devemos, assim, sermos gratos. Aos que nos ajudaram a crescer. E termos o propósito de não parar. E não passar em vão pela vida”. (autor desconhecido)

Aprender no Coletivo!

"Quanto mais rica

a experiência humana,

tanto maior será

o material disponível

para a imaginação e

a criatividade".

(Lev S. Vygostsky)


Na aventura de aprender de nossas crianças e jovens, pais e professores são a bússola para o caminho de descobertas e experiências
significativas e felizes.
(Rosangela Vali - Pedagoga e Psicopedagoga)


ATENDIMENTO PSICOPEDAGOGICO


Sou participante em...

Ocorreu um erro neste gadget
Loading...
Salmo 16:8 -
(Com ELE, nos FORTALECEMOS!)

Selinhos Amigos e Parceiros neste BLOG! OBRIGADA!